Artigos
08/12/2015 12:50

EXERCÍCIO DE ALTA INTENSIDADE E EMAGRECIMENTO
por Ruy Junior

É impressionante como as pessoas são incrédulas quanto a afirmações feitas por profissionais cujo conhecimento pode ser aprofundado, porem não se encontram em grandes centros desportivos. É comum percebermos que um treinador atuante em uma cidade mais desenvolvida tem maior credibilidade do que de uma cidade menor, mesmo estes tendo condições iguais de buscar conhecimento e se atualizar. O que dizer então da pobre opinião dos treinadores contra as informações repassadas pelas grandes mídias. Dessa forma, sempre quando algum programa foca a questão de treinamento físico e emagrecimento lá esta a velha máxima: Exercícios aeróbios de baixa a média intensidade por longos períodos de tempo são os mais indicados. Os treinadores do CEPEF há algum tempo vem contrariando essa “verdade” defasada e aplicando exercício de alta intensidade e curto período de tempo como o principal precursor do emagrecimento acreditem musculação pesada para emagrecimento sim, claro, sempre respeitando as condições do aluno. Recebendo algumas críticas e olhares de desconfiança os alunos treinados começaram a apresentar ótimos resultados e o cenário começou a mudar.

 

Porem mesmo os resultados visíveis não eram capazes de fornecer a credibilidade necessária, até que o mundo começou a abrir os olhos para certos erros, por mais que os nossos já estivessem abertos a um bom tempo. A revista Época do mês de março de 2011 trouxe uma reportagem que nos deu a redenção, intitulada “É difícil, cansa, mas emagrece”, mesmo tratando com maior ênfase do exercício aeróbio de alta intensidade a ideia é evidenciar que exercício de curta duração e intensidade alta é mais eficaz do que aqueles treininhos em que você mal apresenta uma gota de suor e sai da academia exatamente como entrou, ou seja, realizando o mínimo de esforço. Convido você para ler a ótima reportagem na íntegra da revista Época do dia 28 de março, talvez você obtendo tais informações em uma revista renomada e com suporte de pesquisas norte-americanas seja mais fácil de aceitar, afinal de contas o que um treinador que não aparece na TV ou jornal sabe sobre treinamento não é mesmo?

 

Pois bem acompanhando a idéia da matéria apresentarei nesse artigo uma ótima pesquisa realizada por Randy e colaboradores em 1999, intitulada Effects of resistence vs. aerobic training combined with an 800 calorie liquid diet on lean mass and resting metabolic rate. Tal pesquisa da ainda mais credibilidade a musculação com intensidade elevada em relação ao exercício aeróbio de baixa intensidade quando o objetivo é emagrecimento. Nessa pesquisa vinte mulheres tinham rigorosamente a mesma dieta, porem dez delas constituíam um grupo que realizava apenas atividade aeróbia enquanto as outras dez formavam um grupo que faziam musculação, após doze semanas de treinamento os resultados foram os seguintes:

 

tabela1

 

Percebe-se através dos resultados apresentados que a musculação foi mais efetiva na redução de gordura, alem de ser muito melhor para manutenção do volume muscular fazendo com que o metabolismo basal fosse acelerado. Convém ressaltar que o percentual de peso corporal total com maior redução pelo exercício aeróbio se deu por tal modalidade ter levado a uma situação de perca de massa magra, o que nunca é interessante para quem quer emagrecer e se manter magro. Certamente as informações repassadas pela revista lhe parecerão bem mais confiáveis do que as afirmações desse treinador, porem independente da fonte, a verdade é uma só “exercício de alta intensidade é primordial para o emagrecimento”.

 

Referênica bibliográfica:

Bryner R W, Ullrich I H, Sauers J, Donley D, Hornsby G, Kolar M, Yeter R. Effects Of Resistence Vs. Aerobic Training Combined With An 800 Calorie Liquid Diet On Lean Mass And Resting Metabolic Rate. American Journal College Nutrition 1999 Apr; 18(2):115-21. Revista Época, É difícil, cansa, mas emagrece. Março de 2011.

 

Prof. Esp Ruy Junior – Membro do Centro de Estudos em Performance e Estética Fisiológica (CEPEF) e Responsável pelo Programa de Treinamento e Consultoria “ALTA INTENSIDADE”.

Compartilhe:
Comente